Exposição "O Regresso do objeto: Arte dos anos 1980 na coleção de Serralves"
Cultura

Exposição "O Regresso do objeto: Arte dos anos 1980 na coleção de Serralves"

Entre 27 de outubro de 2021 e 8 de janeiro de 2022, o Museu Municipal de Espinho apresenta nas Galerias Amadeo de Souza-Cardoso a exposição "O Regresso do Objeto: Arte dos anos 1980 na coleção de Serralves".

Artistas representados:
Rui Aguiar, Joaquim Bravo, Gerardo Burmester, António Campos Rosado, José Pedro Croft, Pedro Cabrita Reis, Rui Chafes, Ana Jotta, Harald Klingelhöller, Juan Muñoz, Rui Sanches, entre outros.

"O regresso do objeto" apresenta uma seleção de obras de artistas portugueses e internacionais que sedimentaram os seus discursos artísticos nos anos 1980. Se, por um lado, eles parecem personificar exemplarmente as transformações a que a arte foi sujeita nesse período ― o regresso à figuração e a reintrodução da solidez, visual e tátil (o regresso do objeto), depois das práticas de teor linguístico e eminentemente desmaterializado que caracterizaram a arte das décadas imediatamente anteriores ―; por outro lado, a complexidade das suas práticas excede as ideias preconcebidas sobre a arte dos anos 1980, sublinhando ser este o momento em que diferentes paradigmas herdados da pintura, da escultura, da fotografia e da arte conceptual puderam coexistir.
Assistimos a um regresso a temas clássicos da história da arte, ao ressurgimento de um imaginário figurativo e metafórico associado a títulos poéticos e evocativos e à proximidade com as artes decorativas e a cultura popular. Esta diversidade relaciona-se com o começo da globalização que coloca em contacto e em influência mútua culturas muito diversas. A exposição é uma oportunidade para revisitar a produção artística desta década que, representando o fim do isolamento a que a ditadura tinha votado Portugal, revela um crescente sincronismo com o contexto artístico internacional."