Exposição "Vivências em Espinho no Estado Novo"
Exposições

Exposição "Vivências em Espinho no Estado Novo"

Nova exposição documental no Museu Municipal de Espinho
"Quando fomos confrontados com a oferta do fotógrafo, Luiz do Sacramento Martins, para adquirimos um espólio de fotografias, relativo às décadas de 1930 a 1950, vimo-nos perante uma oportunidade única de dispor de instantâneos que ilustram, com saboroso detalhe, o Verão em Espinho durante o Estado Novo.
Ligado a uma família de fotógrafos, lembra-se, desde miúdo, de vir por cá , até à Foto Alegre - Rósiter, Ampliações, Trabalhos Amadores, Artigos Fotográficos, Reportagens e Esmaltes", localizada na Rua 2, n.º 1279, chamando-se o proprietário Américo Augusto Ferreira da Silva.
A designação da firma ocupava, igualmente, o letreiro, em caracteres horizontais, estava sujeita ao pagamento de taxa, baseando-se no parecer do técnico da Câmara Municipal de Espinho, Eng. António Alla.
Em adulto, Luiz Martins centrou a actividade no Porto, especializado em trabalhos para periódicos nortenhos, reportagens particulares e instantâneos, tendo Espinho como um dos cenários. Aí, estão os templos do lazer (Palácio Hotel, Piscina Solário Atlântico, Grande Casino), os espaços de lazer, onde se cruzam o "glamour" da Miss Espinho, o penetrante odor que solta dos cafés, o fascínio das gincanas ou o vigor dos novos ases do desporto.
São imagens que ajudam a perceber como se passava o espaço de lazer, num Espinho marcado pelo Estado Novo. Existem outras facetas menos agradáveis, que este espólio não comportaria. Mas este acervo, representado por esta pequena amostra, ajuda a alargar o nosso entendimento da História!"

Carlos Morais Gaio

A exposição "Vivências em Espinho no Estado Novo" estará patente no Museu Municipal de Espinho (átrio norte/ poente) de 27 de novembro de 2020 a 29 de janeiro de 2021.
Esta exposição já esteve patente ao público em 2008 no Centro Multimeios de Espinho e reflete a dinâmica do trabalho do Museu Municipal de Espinho sobre fotografia antiga do concelho de Espinho.
A pertinência de a exibir novamente prende-se com o facto de, na linha de ação do Museu Municipal de Espinho para 2020,  ter havido um enfoque na interligação entre as narrativas das diversas exposições, que nos levaram numa viagem por momentos marcantes do trabalho artístico em Portugal.  As exposições "Corpo, Abstração e Linguagem na arte portuguesa - obras da Secretaria de Estado da Cultura em depósito na Coleção de Serralves" e "Quatro Tempos e Mais Um", fotografias de Alfredo Cunha, são excelentes exemplos dessa ligação.